segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Contadora de Histórias

Me lembro de ter entrado na salinha para ver com quem a Rafa estava falando. Ela estava contando uma história pros bichinhos olhando um dos álbuns de fotografia dela... amor da minha vida! Em 2007...

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Luan

Luan é um british shorthair que nasceu no Gatil da minha amiga Tati e foi vendido para uma pessoa que pareceu ser um excelente tutor.
Tempos depois a Tati resgatou o Luan cheio de pulgas, magérrimo, trancado num cômodo dessa mesma pessoa. Muito, muito triste.
Levou de volta pro gatil, cuidou dele e eu me ofereci para ser tutora. Ele veio para nossa casa, socializou muito devagar, chegava perto da gente só quando estávamos em uma posição quase deitada. Até hoje é um gatinho assustado. 
O único dos outros gatos que ainda o assediava até meses atrás era o Bartolomeu. Com os demais sempre foi tranquilo.
Achei que com a chegada da Chanel iria piorar e não é que estava completamente enganada? O Bartolomeu parou de implicar com ele e agora, apesar de ainda ser receoso, o Luan fica mais tempo perto da gente, espera por carinho mesmo que a gente esteja em pé, mia bem baixinho quando quer atenção.
O que me deixa tranquila é saber que ele conseguiu sair daquela situação do início de sua vida e vir para nosso lar, junto com irmãos felinos, humana e canina. Ele tem seis aninhos e é um gatinho muito amado.








Um Dia Das Mães

Rafaela e Henrique encenando um casal no dia das mães.
Creche Vera Fabrício Carvalho - HCPA - maio de 2006.

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Queimadura

Pela milésima vez queimei minha mão com água do chimarrão. É o tal de estar pensando em algo e não prestar atenção no que está se fazendo. "Bocabertisse" pura!

Bom, a dica que eu dou é muito importante para pequenas queimaduras:

- água fria cinco minutos, tira um pouquinho para não lacerar a pele, mais cinco minutos, até amenizar a dor.

Aqui onde trabalho temos medicina do trabalho e como aconteceu aqui dentro fui lá. Neste caso não foi uma Acidente de Trabalho e sim Acidente NO trabalho.

Ações tomadas pela enfermagem:

- água fria cinco minutos, tirar da água e colocar de novo, sucessivamente.

Situação agora, com Bepantol ®.
- a enfermeira passou hidrogel e xilocaína mas mesmo assim não amenizou devido a profundidade da minha queimadura.

- como eu estava urrando de dor (como pode num pedaço tão pequeno doer tanto?) me aplicaram uma injeção (não lembro o nome, só sei que ouvi "pós cirúrgica").

- a dor não amenizou muito, mas colocaram vaselina sólida e taparam. Levou uma hora e pouco para passar a queimação.

- fiquei com a mão enfaixada dois dias. 

- voltei à medicina do trabalho e "sugaram" o líquido das bolhas que se formaram, passaram vaselina sólida e taparam de novo.

- de 24 em 24 horas refiz o curativo em casa com vaselina sólida e esparadrapo antiaderente.

Hoje, uma semana depois, minha mão está sem curativo mas com Bepantol®. A pele precisa ser mantida hidratada. Provavelmente ficará uma macha, mas cuidarei com protetor para não queimar mais.

A dica principal é: PRESTE ATENÇÃO NO QUE ESTIVER FAZENDO, principalmente se envolve fogo, líquido quente, panelas fervendo e tal.  

& tenha em casa vaselina sólida.
& não passe gelo e tampouco pasta de dente para não lacerar o tecido.
& se puder vá a um pronto atendimento. Especialistas são a melhor opção sempre.
& sempre aparecerão mil pessoas palpitando sobre dicas miraculosas, mas geralmente depois do ocorrido. Após o acontecido, na cicatrização, faça hidratação e mantenha os cuidados. Já ouvi sobre clara de ovo, farinha de trigo gelada, etc mas ainda sou da boa e velha água fria para acalmar e depois muita vaselina sólida.



Ébano

Ébano também é da gangue do Dom Nelson Bavarescone e age com mais
rapidez que o mano Bartolomeu. Ele tem apenas três patas mas é de todos o mais rápido e veloz. Consegue fazer tudo o que os outros fazem e o seu pelo é o mais brilhante de todos.

Bom, depois da chegada da Chanel ele mostrou mais ainda seu temperamento forte. Não curte a cachorrinha e revida às investidas dela. Não raro corre atrás da figurinha para dar umas patadinhas. Mas sempre de unhas aparadas por essa que vos tecla. Não dou mole para acidentes.

O Ébano foi resgatado junto com o Bartolomeu nas ruas do Rio, pela amiga querida Tatiana. Primeiro adotei o Barto e depois pedi para vir o Ébano já que os dois se conheciam. Ambos vieram em momentos diferentes de avião. Experiência tranquila para todos.

Até hoje é o mais miento, conversa pra caramba e sempre que pode sobe no vaso sanitário para ganhar carinho na cabecinha, quando estou escovando os dentes. O charme dele são os dentinhos vampirescos à mostra!

Amo muito esse meu pretinho básico e lembro a todos, sempre, que gato preto não dá azar. O azar é ser preconceituoso.

Fotos:




Não Quero Assunto

Eu amo essa foto... minha casa, 2008.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Surpresinha

Eu tinha uma pastinha de fotos velhas de celulares antigos... fiquei olhando ontem e me deparei com algumas fofuras como essa, tirada em 2007.
Minha princesinha adormecida .