quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Perú - Cusco - 22-01-16

Centro de Artesanato

Neste dia tivemos a manhã livre e passeamos pelas cercanias de Cusco. Onde a gente olhava tinha uma igreja lindíssima ou uma construção da época dos conquistadores ou dos incas. Muitos turistas, sol, barulho ... e os apitos das guardinhas do trânsito.
Minha cabeça estava latejando, uma sensação de pressão na parte de trás na nuca por causa da altitude. Na noite anterior dormi mal por conta disso também.
A Rafaela pediu para ficar descansando depois dos episódios de desmaio do dia anterior.
Fomos de novo no centro de artesanato onde aproveitei para sanar uma dúvida: que bandeira colorida era aquela exposta em todos os lugares? A senhorinha de uma banca olhou para mim e disse: "no es la bandera gay, es la bandera del Cusco. Engloba todas las colores del mundo!". 
Depois passamos no mercado e num restaurante onde compramos algumas empanadas e sorvete levando para o quarto.
Às 13:30 fomos para o tour com a Liz que nos deixou nas mãos de outro guia.

Rumamos para a Basílica Catedral que fica Plaza de Armas. Ela é maravilhosa, Muito deslumbrante e o guia nos disse que houve alguns saques e agora tem segurança dia e noite, por conta da enorme quantidade de ouro e prata ali dentro. O passeio contou com fone auricular, então ele não precisava se preocupar com os atrasados e nem em gritar.
Ele  aproveitou para contar das tradições seguidas até hoje pelo povo cusquenho. Inclusive tem uma festa que é na época do Corpus Christi católico em que eles lotam a Plaza de Armas e festejam três dias seguidos, trazendo as relíquias da igreja para fora. O guia disse que são três dias de bebedeira e alegria. \o/
Seguimos para o sítio Qorikancha que fica bem no meio da cidade antiga. Ele foi restaurado porque na época da colonização espanhola a sua estrutura de pedras incas foi utilizada para a construção do convento (que está lá até hoje) e igreja São Domingos. 
Padres dominicos ainda circulam por lá. Eu creio que as visitas guiadas são a melhor opção porque se fôssemos sozinhos veríamos aquela montoeira de pedras e não entenderíamos nada. Valeu super a pena.
Em qualquer monumento significativo Inca, conquistadores sobrepuseram com igrejas católicas a fim de "catequizar" o povo desta região.
Na época Inca Qorikancha era o centro religioso, geográfico e político daquela civilização. Ela foi construída em homenagem ao seu deus maior, o Sol.
Depois dessa visita e muitas explicações nos templos internos, fomos para a Avenida El Sol e embarcamos numa van com mais turistas. Rumamos para os sítios que ficam fora da cidade

O primeiro a visitarmos foi o sítio de Sacsayhuaman. Neste sítio dá para ter a dimensão da grandiosidade e engenhosidade da cultura Inca. Eles usaram terraceamento para cultivo e evitar erosão, a arquitetura e o assentamento das pedras perfeitamente alinhados para evitar cair com terremotos. O polimento delas, a irrigação, tudo muito perfeito. Ficamos boquiabertos com as explicações do guia.

Seguindo, rumamos para o sítio de Tambomachay, considerado por muitos a fonte sagrada. A construção tem vários aquedutos. De fronte a ele tem uma construção circular que muitos pensam ter sido um posto de guarda da fonte sagrada. 
Dali rumamos para Q´enqo, que foi um dos sítios mais importantes porém é o mais dilapidado pela colonização espanhola. Nele se encontra uma espécie de caverna que seria a câmara mortuária, onde alguns dizem que eram feitos sacríficios humanos e lhamas, e outros afirmam que era sala de embalsamamento. Também tem o que poderia ter sido uma Anfiteatro, um Reservatório e  uma canaleta em zigue zague que tanto podia levar chicha para a câmara mortuária como escoar sangue lá de dentro.

Próximo post.

Algumas fotinhos:

Centro Cusco
Ruelas
Igreja São Domingos
Trânsito Caótico
Cholas
Basílica Catedral
El Gato Negro

Mais ruelas
Nosso guia explicando do porque da inclinação das paredes
Portal do Templo - pedra com 14 vertices sem corte
Por tudo tem isso
Convento São Domingos
Qorikancha
Sacsayhuaman
Sacsayhuaman
Sacsayhuaman
Chola e sua alpaca
Vista de Cusco
Sacsayhuaman
Sacsayhuaman, dá para ver a serpente?
Sacsayhuaman, dá para ver a lhama?
Sacsayhuaman - terraços
Sacsayhuaman - terraços
Tambomachay
Tambomachay
Q´enqo - vista de Cusco
Q´enqo

Q´enqo - entrando na capela mortuária

Q´enqo
Q´enqo - canal
Noite chegando em Cusco

3 comentários:

  1. Que maravilha. Imagina poder viver pelo menos metade de cada ano viajando pelo mundo. Adoro suas viagens.

    ResponderExcluir

Sinta-se em casa!